Passeio Anual do Colégio Português

No passado domingo, 22 de Outubro, foi dia do passeio anual do Pontifício Colégio Português. Novos estudantes, outros atarefados na escrita/ pesquisa das suas teses de doutoramento ou outros a meados do seu percurso académico, bem como a comunidade religiosa que nos acompanha, tiveram a oportunidade de interromper a vida académica por um dia para conhecer um pouco melhor duas localidades deste país que nos acolhe.


Chegámos às 10h30 à Catedral de Bolsena, onde podemos visitar o local do conhecido milagre eucarístico e, nesse mesmo templo, celebrámos a Eucaristia. Nesta localidade de Bolsena residem os restos mortais da mártir Santa Cristina, cujo sepulcro foi ponto de passagem obrigatório dos peregrinos que se dirigiam aos túmulos de Pedro e Paulo.


Conta a lenda que um peregrino sacerdote, em 1263 ou 1264, de nome Pietro e originário de Praga, também passou por Bolsena para rezar diante do túmulo de Santa Cristina pedindo auxílio para a sua crise de identidade sacerdotal: a confusão e a descrença acerca da presença real de Cristo na Eucaristia. Após a oração, celebrou a Eucaristia num altar junto ao túmulo. As dúvidas permaneciam até ao momento em que ao elevar a hóstia saíram-lhe algumas gotas de sangue que caíram sobre o corporal. O sacerdote, ao mesmo tempo cheio de confusão e alegria, recolheu as espécies eucarísticas no corporal e enquanto se dirigia para a sacristia caíram-lhe algumas gotas de sangue no chão de mármore junto ao altar. O sacerdote dirigiu-se para Orvieto, onde residia temporariamente o Papa Urbano IV, pedindo-lhe perdão pelas suas dúvidas e relatou o sucedido. O Papa pede ao Bispo de Orvieto, segundo uma lenda acompanhado por Tomás de Aquino e Boaventura, para verificar o relato do sacerdote e trazer as relíquias. No regresso, na chamada hoje “Ponte del Sole”, o bispo de Orvieto, trazendo as relíquias, cruza-se com a corte papal, na qual o Papa, de joelhos, recebe as relíquias do milagre eucarístico. Com bula própria a 11 de Agosto de 1264, o Papa Urbano IV institui a festa do “Corpus Domini”. Ainda hoje, celebramos esta mesma festa e podemos encontrar a relíquia do corporal na Catedral de Orvieto e o bocado do chão de mármore, na qual caíram algumas gotas do sangue de Cristo, em Bolsena.


Após a Eucaristia e o almoço, o Colégio Português seguiu as pisadas do sacerdote incrédulo e dirigiu-se à Catedral de Orvieto. Não encontrámos o Santo Padre, mas um imponente templo construido a partir de 1290. Vale a pena “perder tempo” a olhar para a sua fachada. Do exterior ao interior podemos encontrar uma catequese bíblica – desde a origem do mundo (Génesis) à consumação dos tempos (Apocalipse/ Escatologia) realçando sobremaneira a figura de Maria – nos seus majestosos mosaicos, esculturas, pinturas e vitrais. Qualquer descrição não preenche o imaginário que é permitido contemplar com os nossos olhos.
Chegámos a casa pelas 20h, hora do jantar.

 

P. Pedro Silveira Lima, Diocese de Angra